Dia ‘D’ contra a BNCC impõe mais uma derrota a Temer e sua quadrilha

No dia ‘D’ da BNCC do MEC/ Bando Mundial, a Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia, aplicando o plano de lutas contra o fechamento e privatização do ensino público, aprovado no 38º ENEPe realizado na UNEAL/União dos Palmares, organizou o Dia ‘D’ de combate à BNCC.

Derrubando os muros da Universidade, as atividades consistiram em organizar panfletagens, debates com professores e estudantes secundaristas nas escolas públicas sobre o panfleto da ExNEPe que denuncia mais este crime contra o povo brasileiro, em especial, a juventude.

O que essa Base Nacional Comum Curricular representa é uma grande preocupação do governo brasileiro, serviçal de potências estrangeiras, principalmente, a norte-americana, com a crise econômica, política e moral que se agrava no país; e, inevitavelmente atiçam as amplas massas desde o campo à cidade a resistir e combater em defesa de seus direitos, contra essas classes dominantes moribundas, sanguessugas da nossa força de trabalho.

Em Minas Gerais, a Executiva Mineira de Estudantes de Pedagogia realizou uma palestra na Escola Municipal Machado de Assis, localizada em Vespasiano, município localizado na região metropolitana de Belo Horizonte. Com o apoio da direção e dos professores, a ExNEPe junto à Unidade Vermelha-LJR realizou palestras nos dois turnos. Na parte da manhã teve participação de 120 estudantes das turmas do 1º e 2º anos do Ensino Médio. À tarde, 70 estudantes, principalmente, do 2º e 3º anos estiveram presentes.

MG
Palestra da Executiva Mineira em Vespasiano – MG

 

No Rio de Janeiro, os representantes da ExNEPe junto aos estudantes das licenciaturas diversas e secundaristas, panfletaram na parte da manhã no colégio ISERJ (Instituto Superior de Educação), Colégio de Aplicação da UERJ (CAP). À tarde houve panfletagem, passagens em salas e reunião com professores do Colégio Pedro II – Tijuca. Com o apoio de vários professores democráticos e de estudantes secundaristas, uma nova atividade de debate amplo sobre a criminosa BNCC foi marcada para a próxima quinta-feira.

RJ
Panfletagem no Rio de Janeiro
RJ_2_
Rio de Janeiro contra a BNCC

 

Em São Paulo foi realizada na escola Professor Antonio Viana de Souza, uma roda de conversa a respeito da Base Nacional Comum Curricular e a reforma do Ensino Médio. Estiveram presentes estudantes secundaristas, estudantes do ensino fundamental, professores e diretores.

Inicialmente, a Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia fez uma intervenção no sentido de introduzir o tema e expor aos participantes o porquê de nós sermos contra a BNCC e a Reforma do Ensino Médio. Logo após, os participantes foram separados em grupos com a presença de professores e representantes da Executiva Nacional para a leitura do material disponibilizado pela ExNEPe, a fim de aprofundar o entendimento acerca desses ataques ao ensino do nosso povo.

Em seguida, voltou o formato de roda de conversa com a presença de todos os participantes para que representantes dos grupos expusessem seu entendimento e posicionamento sobre o tema debatido.

Durante a exposição do entendimento, os estudantes expressaram que a BNCC e a Reforma é uma ameaça a nós estudantes, pois representa a destruição do ensino público, com o objetivo de privatizá-lo.  Disseram também que não podemos deixar que retirem nosso direito de adquirir conhecimento, demonstrando disposição em defender o ensino público do nosso país.

Para encerrar, a ExNEPe deixou uma calorosa saudação aos participantes e conclamou todos e todas a elevarem a luta pelo ensino público, de qualidade e a serviço do nosso povo ao patamar que for necessário. Como resposta, a diretora da escola agradeceu a iniciativa da Executiva Nacional e disse que a visita encheu-os de ânimo para as batalhas que virão pela frente, deixando a escola de portas abertas à ExNEPe.

SP
Intervenção da ExNEPe em SP
SP (2)
Roda de conversa sobre a BNCC – SP
SP (3)
Secundaristas afirmam disposição de lutar contra a ‘reforma’

 

No Norte do país, a Executiva Rondoniense de Estudantes de Pedagogia mobilizou estudantes de Porto Velho e Rolim de Moura. Em Rolim de Moura, na Escola Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral Cândido Portinari logo após a conversa com os professores, foram realizadas agitativas passagens nas salas de aula. Em Porto Velho, o Centro Acadêmico Zenildo Gomes, juntamente com a Executiva Rondoniense, realizou uma mesa redonda, colocando-se contra esse projeto autoritário, segregador e tecnicista.

ROLIm
Passagem em sala – Rolim de Moura
Rolim professores
Conversa com professores – Rolim de Moura
PVH
Debate sobre a BNCC – Porto Velho
PVH (2)
Porto Velho/RO

 

Já no Pará, as ações foram organizadas pela delegação que voltou motivada depois da participação no do 38º ENEPe. Com o apoio da equipe gestora, ocorreram duas atividades na Escola Liberdade, escola de periferia do município de Marabá e que tem grande tradição de resistência. Na parte da manhã uma conversa com estudantes, principalmente do 3º ano situou sobre a gravidade das políticas do governo para o Ensino Médio, mobilizando-os para resistirem contra os ataques que vem sendo perpetrados aos direitos do povo. No turno da tarde, a representação da ExNEPe junto às Brigadas Populares do Pará e  estudantes de Pedagogia da Unifesspa interviram na reunião dos professores que também aderiram à campanha contra a BNCC. Os professores que estavam desde o dia anterior estudando os materiais do MEC denunciaram mais esta demagogia do governo. De acordo com os professores, o próprio programa do governo “Novo Ensino Médio” que a escola aderiu não está funcionando. À noite, no auditório da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, um ato contra a BNCC foi organizado pelo Instituto de Ciências Humanas. Mais de 100 panfletos foram distribuídos para os participantes.

Maraba alunos5
Conversa com estudantes em Marabá/PA
Maraba alunos10
Escola Liberdade, tradição de resistência em Marabá
Maraba
Reunião de Professores em campanha contra a BNCC
Maraba auditório Unifesspa
Ato contra a BNCC – auditório da Unifesspa

 

Em Belém ocorreram panfletagens na Escola Pedro Amazonas Pedroso.

Em Salvador a ExNEPe foi ao Instituto Federal da Bahia à tarde. Ao saber que se tratava do Dia ‘D’ contra a BNCC, uma professora de Geografia recebeu os estudantes com enorme entusiasmo. Foram distribuídos panfletos e denunciado os ataques econômicos, políticos e ideológicos contra o povo, a professora complementou a fala de forma bastante combativa e agradeceu enormemente pela atividade, reforçando que mais devem ser realizadas.

Salvador
IFBA – Salvador

 

No Vale do São Francisco a ExNEPe participou junto com uma professora de Geografia da UPE  Petrolina de um debate organizado pelos estudantes da EMAFF (Escola Marechal Antônio Alves Filho), em Petrolina.

Os estudantes souberam através de sua professora da atividade organizada pela ExNEPe e logo se mobilizaram para organizar o debate, convidando a ExNEPe e a professora da UPE, além de pesquisarem sobre a Reforma do Ensino Médio para debater o tema. Participaram cerca de 60 estudantes do Ensino Médio, e duas professoras da escola. Os estudantes fizeram várias falas e perguntas questionando o conteúdo da BNCC e ressaltando a importância da luta e da mobilização e politização de seus colegas e professores. O representante da ExNEPe ressaltou a importância dos estudantes se organizarem para barrar mais esse ataque e a se engajarem na luta em defesa dos direitos. Durante a atividade um representante do SINTEPE – Petrolina (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco) passou na escola para panfletar contra a BNCC e ao saber do debate aproveitou para fazer uma fala denunciando a BNCC e elogiando a iniciativa da ExNEPe junto aos estudantes.

VSF2
Estudantes da EMMAF em Petrolina com muita disposição de luta
VSF
Debate organizado pelos estudantes da EMMAF – Petrolina

 

Em todas as ações no Brasil afora, os panfletos da ExNEPe foram muito bem recebidos. Constatamos a vontade dos professores e gestores democráticos de se organizarem, mas desiludidos com o velho sindicalismo. Este último, junto ao velho movimento estudantil, está imobilizado diante dos golpes que vem sendo aplicados contra o nosso povo, apostando tudo nas próximas eleições. Mas o que ficou claro nas nossas atividades, é que há pelo país inteiro uma ampla juventude com muito ânimo de lutar!

E desde já é necessário rejeitar a proposta da BNCC e exigir a revogação da Lei 13.415 da “reforma” do Ensino médio! As recentes lutas da juventude e do povo brasileiro têm demonstrado que é possível derrotar o governo!

 

Abaixo a criminosa BNCC do Temer/Banco Mundial!

Transformar as escolas públicas em grandes trincheiras de combate!

ExNEPe é pra lutar! O imobilismo não vai nos segurar!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s