Delegada processa reitoria por não calar manifestação política

cancellier
Fonte: Luis Nassif/GGN

Todos recordam do suicídio como forma de protesto do reitor da UFSC Luis Carlos Cancellier em 2017. Na época, a Polícia Federal, numa ofensa à autonomia universitária, interviu na Universidade, prendendo e afastando dos cargos vários funcionários, incluindo o antigo reitor, que devido a tamanha humilhação acabou suicidando-se.

Agora, a mesma delegada autora do pedido de prisão do reitor Cancellier, Erika Marena, está processando, através do Ministério Público Federal e Procuradoria da República, o Reitor pro tempore Ubaldo Cesar Balthazar, e o chefe de gabinete da reitoria Prof. Áureo Mafra de Moraes, por não terem impedido que uma faixa de protesto exigindo que fosse apurado o caso do suicídio do ex-reitor, os responsáveis apontados e os danos reparados.

A solenidade ocorreu em homenagem aos 57 anos da Universidade, e contou com uma homenagem ao ex-reitor, sendo colocado um retrato do mesmo na reitoria.

a5b24dba-b504-4683-93ba-166c069a4e72Nas palavras da própria delegada, o reitor deveria ter usado de seu poder de “polícia administrativo que coibisse o malferimento à honra funcional dos servidores públicos retratados na faixa, sendo-lhe exigível dever jurídico positivo de imediatamente retirar, ou mandar retirar, a faixa exposta naquela cerimônia oficial por ato de terceiros”.

O chefe de gabinete diz:

“Estou sendo acusado pela mesma delegada [Érika Marena, autora do pedido de prisão do Reitor Luiz Carlos Cancellier, que se suicidou pela humilhação pública] de crimes de calúnia e difamação. Por quê? Por ter promovido, como chefe do gabinete do reitor da UFSC, uma solenidade em homenagem aos 57 anos da universidade e em homenagem ao reitor Cancellier. Prestei depoimento em 11 de junho passado. E, pasmem, o reitor recentemente eleito, Ubaldo Balthazar, também teve que prestar depoimento no mesmo inquérito. De que nos acusam? De termos “autorizado” a exibição de uma faixa de desagravo à referida delegada e outros agentes do estado, na tal solenidade. Ora, uma universidade federal é, por excelência, o espaço da crítica. Queriam, por supuesto, que censurássemos quaisquer manifestações livres de expressão? Não. Na UFSC não!!”

Anexo do processo do MPF: den_5004151

Vídeo da cerimônia na UFSC: https://www.youtube.com/watch?v=yqylIM0_8Wk

Fontes:
Luis Nassif online
Conversa Afiada

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s