VIVA O VITORIOSO IV ENCONTRO RONDONIENSE DE ESTUDANTES DE PEDAGOGIA!

Nos dias 14, 15 e 16 de Agosto, a Executiva Rondoniense de Estudantes de Pedagogia (ExRoEPe) e a Comissão organizadora, conformada pelo Centros Acadêmicos de Pedagogia de Porto Velho e Rolim de Moura e estudantes de Pedagogia de Porto Velho, Rolim de Moura, Vilhena, Ji-Paraná e Ariquemes executaram o IV Encontro Rondoniense de Estudantes de Pedagogia.

Mesmo com atraso resultado das dificuldades de acesso a internet dos companheiros que conformam a C.O., o primeiro dia de evento contou com a participação da Prof.ª Dr.ª Maria de Fátima Siliansky – UFRJ, professora de Medicina e presidente do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (CEBRASPO). A mesa que discutiu a situação política nacional e internacional debateu a crise iminente do capitalismo burocrático e os efeitos na América Latina, em especial no Brasil, da crise do capitalismo nos países imperialistas, principalmente nos EUA. Destacou o papel que os movimentos populares e a massa têm e as transformações que haverão de acontecer pelas mãos do povo organizado.

No sábado, dia 15, entre 14h e 17h, reuniram-se o Pró-reitor de Graduação, Prof. Dr. Jorge Luiz Coimbra, a Prof.ª Dr.ª Marilsa Miranda de Souza – UNIR/Campus Porto Velho e a Prof.ª Dr.ª Isaura Isabel Conte – UNIR/Ji-Paraná na mesa EaD e ensino remoto: precarização e privatização da educação. As falas dos palestrantes foram intensas e bem fundamentadas, colocando problema do desmonte da educação, o desejo do Velho Estado brasileiro e do imperialismo com o ensino remoto e denunciando: O ensino remoto na UNIR é o caminho da precarização e privatização da Universidade.

Ainda no segundo dia, a Prof.ª Ms.ª Tainá Peixoto (IFMA), o Prof. Dr. Samilo Takara (UNIR/Rolim de Moura) e a Prof.ª Dr.ª Flávia Pansini (UNIR/Rolim de Moura) discutiram um dos temas mais importantes hoje para os cursos de Pedagogia e outras licenciaturas, a Base Nacional Comum de Formação Docente e seus impactos na formação do pedagogo, uma vez que a mesma retira a cientificidade da formação de professores e o coloca como simples aplicador das cartilhas do MEC/FMI/Banco Mundial. A BNC fundamenta os cursos de licenciatura sobre os princípios da BNCC destruindo a formação unitária do pedagogo. Ao fim da mesa colocou-se que o caminho para barrar a BNC é a luta independente e combativa.

O terceiro e último dia de evento teve início às 14h com a mesa A organização do movimento estudantil no curso de Pedagogia, com a companheira Tarsila Roque – UFAL, da Executiva Nacional dos Estudantes de Pedagogia. A companheira relatou com maestria as lutas da ExNEPE contra o desmonte da formação do pedagogo, entre essas lutas, o embate contra as DCN’s no governo Lula, a luta contra a falsa regulamentação do Pedagogo, a importância de 2013 para o movimento estudantil, rompimento com os oportunistas e as lutas que se colocam nas universidades contra a privatização, em defesa da democracia e autonomia universitárias.

Ao fim do terceiro dia os estudantes de Pedagogia do estado de Rondônia deliberaram o plano de lutas a ser seguido e elegeram a nova secretaria da ExRoEPe. Os novos secretários são:

– Alexandre Victor Soares de Melo (Secretaria Executiva) – 1º Período/Campus Porto Velho;
– Carlos Henrique Bezerra (Secretaria de Finanças) – 3º Período/Campus Porto Velho | Coordenador-geral do DCE e do CAPed Zenildo Gomes da Silva;
– Eliezer Martinho (Secretaria de Propaganda) – 3º Período/Campus Ariquemes;
– Dolores Mariana Gonçalves (Membro) – 3º Período/Campus Porto Velho | Coordenadora de Finanças do CAPed Zenildo Gomes;
– Thalyta Magalhães (Membro) – 7º Período/Campus Ariquemes;
– Waltécia Cassiano (Membro) – 5º Período/Campus Porto Velho.

Assim, após a eleição da nova Executiva Rondoniense, deliberou-se novo plano de lutas dividido em três eixos. Um plano combativo e classista que reafirma o compromisso da ExNEPe e ExRoEPe:

Plano de lutas do IV Encontro Rondoniense de Estudantes de Pedagogia

Situação Política

Reafirmar o compromisso da ExRoEPe em apoiar as lutas do povo brasileiro, se vinculando à luta pela terra dos camponeses e por território dos indígenas e quilombolas, e à luta dos trabalhadores terceirizados, profissionais da educação e dos estudantes secundaristas;

Apoiar e participar nas iniciativas de fundação de Comitês Sanitários de Defesa Popular, contribuindo na organização do povo para se proteger da pandemia e para lutar por condições dignas de vida

Reforçar e defender a cultura popular e democrática.

Denunciar o genocídio da juventude preta e pobre;

Apoiar a Campanha Internacional em Defesa da Liberdade dos Três Perseguidos de Austin;

Apoiar as campanhas de boicote às eleições e contra o golpe militar contrarrevolucionário em curso diante da inevitável rebelião do povo.

Universidade

Denunciar e enfrentar a tentativa de desmonte da educação executado pelo MEC/FMI/Banco Mundial, reitorias e qualquer um que ouse tentar passar por cima dos direitos dos estudantes;

Combater qualquer tipo de intervenção do MEC na UNIR;

Barrar os cortes de verbas, o Future-se e qualquer medida privatista que atente contra a Universidade.

Lutar para barrar a aplicação do Ensino Remoto Emergencial/ERE e em caso de aplicação garantir que somente se oferte para os 7º e 8º Períodos. Garantir que a Universidade ofereça metodologias específicas, ampliação do número de profissionais para dar assistência e acompanhamento às pessoas com deficiências e às especificidades educacionais e necessidades dos estudantes indígenas, camponeses, quilombolas, ribeirinhos, etc. Lutar para que onde haja se assegure reposição integral e trancamento da matrícula sem perda de vínculo para quem não puder acompanhar;

Resistir às implicações da BNCC nos currículos da Universidade, organizando, mobilizando e politizando os estudantes de Pedagogia para que esses assumam essa luta;

Lutar contra o sucateamento da UNIR, conquistar a brinquedoteca e creches em todos os campi da Universidade, assim como o Restaurante Universitário;

Lutar por impor o co-governo estudantil inspirados no Levantamento de Córdoba, defendendo a Democracia e a Autonomia Universitárias;

Defender a Universidade Pública, Gratuita, Científica e a Serviço do Povo com unhas e dentes;

Movimento Estudantil

Fortalecer as entidades de base, impulsionando a organização de CA’s e DA’s e em todos os campi e instituições com curso de Pedagogia;

Avançar na política de auto-sustentação das entidades;

Ampliar nossa articulação construindo a luta dos estudantes dentro das universidades privadas.

Promover o I Encontro Rondoniense das Licenciaturas para discutir o enfrentamento a Base Nacional Comum de Formação Docente;

Lutar contra a militarização das escolas e o projeto Escola Sem Partido.

Mobilizar grêmios, escolas secundaristas e instituições universitária para o Dia Nacional de Lutas em Defesa da Educação: 23/11.

Saudamos a C.O. e os novos companheiros da Executiva, que se esforçaram pra construir esse evento, que corrigiram os erros cometidos e proporcionaram um debate de alto nível em cada uma das mesas que compuseram o evento. Esse Encontro manteve os princípios da ExNEPe e da ExRoPe sólidos e palpáveis nas falas e intervenções e aprovou um plano de lutas que muito tem a contribuir com as lutas no estado de Rondônia.

Saudações classistas e combativa aos companheiros!

VIVA A EXECUTIVA RONDONIENSE DE ESTUDANTES DE PEDAGOGIA!
PEDAGOGIA É PRA LUTAR! O IMOBILISMO NÃO VAI NOS SEGURAR!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s