Nota do SINDURCA: Expansão da URCA e o Curso de Medicina: que universidade queremos?

Reproduzimos na integra a nota do SINDURCA

Esta semana soubemos pelos veículos de comunicação local sobre a possibilidade de criação do curso de Medicina na URCA, com o possível funcionamento a partir do segundo semestre de 2021. Esta informação foi confirmada pelo próprio Reitor da instituição, o professor Lima Júnior.

Já era público também a reunião do reitor com o governador Camilo Santana, contando com a presença do prefeito do Crato, José Ailton Brasil no último dia 14. O projeto de criação do curso de Medicina na cidade não é novo e já teve idas e vindas.

Gostaríamos de saudar a possibilidade da criação do curso de Medicina na URCA que, sem dúvida, ampliará a referência da institução no Estado e nas regiões próximas, inclusive fora do Ceará. Ao mesmo tempo, gostaríamos de destacar alguns possíveis problemas já existentes.

O SINDURCA, em mais de duas décadas de luta, acompanha a precariedade com que a URCA e as demais universidade estaduais sofrem pelos governos do Ceará ao longo dos anos. O governo Camilo Santana não foi diferente. De lá pra cá, cursos foram sendo criados, mas em estruturas precárias: o Centro de Artes em um antigo prédio condenado de Juazeiro do Norte é só um dos exemplos.

Há outros cursos que também sofrem pela precariedade da estrutura, a exemplo da educação fisica, química com ausência de espaços para prática e aulas didáticas, obrigando-os a ocuparem sempre espaços já destinados a outros cursos. Ou mesmo o centro de artes ainda carente da reforma estrutural necessária ao curso. Os exemplos não são poucos, a comunidade acadêmica sabe e vive essa dificuldade na URCA.

Além do sucateamento da esturuta física, segue a política de desvalorização da docência, com perdas salariais acumuladas que já chegam a 25% no salário dos professores, além da ausência de concursos públicos para suprir as vagas na área docente e técnica, tão necessários para a sobrevivência da instituição. Desvalorização e pouca oferta de bolsas de pesquisa e de permanência para estudantes também fazem parte do cenário.

Nós, do SINDURCA, saudamos a possibilidade do curso de Medicina e de outros cursos na instituição, tão importante para o desenvolvimento técnico da região. Mas, vemos com preocupação necessária a vinda do curso na URCA que sequer sanou, nesses anos todos, os velhos problemas de estrutura, com financiamentos cada vez mais precários. É preciso mudar esse cenário e colocar a luta pelo financiamento da educação como uma das prioridades.

SINDURCA, 20 de agosto de 2020.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s