Moção de apoio aos perseguidos políticos de Austin!

Durante todo o ano de 2020 os Estados Unidos foram sacudidos de cima a baixo por massivos protestos nos quais as massas norte-americanas se levantaram aos milhões contra a injustiça racial e econômica que as mantém atadas a miséria e subjugada pela violência fascista da policia. Neste que é supostamente o país mais rico do mundo 40 milhões de pessoas vivem abaixo da linha da pobreza, 17 milhões não tem segurança alimentar e 1 em cada 5 famílias vivem sob o risco constante de ficar desabrigadas por inadimplência dos aluguéis.

O povo americano, como se já não bastasse tamanho descalabro, sofre a maior recessão econômica da história, fruto da crise de superprodução impulsionada pela competição entre os mercados mundiais que destroçou grande parte da indústria, levado 15% da população ao desemprego. A pandemia do novo coronavírus, por sua vez, já ceifou a vida de mais de 250 mil americanos, piorando ainda mais as condições de vida da população. A gota d’água, porém, foi a morte do trabalhador negro George Floyd, asfixiado por 4 policiais brancos em Mineápolis enquanto implorava por sua vida. Floyd é apenas um de mais de 1.318 cidadãos negros que perderam suas vidas nas mãos da gendarmeria ianque entre 2015 e 2020, muitos dos quais inocentes como Rayshard Brooks, Daniel Prude, Walter Wallace, Jacob Blake, Breonna Taylor e o próprio Floyd.

Imediatamente, em resposta a tal situação, combativos protestos envolveram o país em semanas de rebelião aberta, que apontava de forma clara contra o sistema econômico de opressão e exploração e contra o terrorismo do Estado. Como é parte de sua constituição histórica não houve para o Estado americano qualquer alternativa se não ir ainda mais fundo na repressão às massas. Dezenas foram mortos, milhares de detenções ilegais foram levadas a cabo, ativistas taxados de “antifa” foram incriminados com acusações de terrorismo e traição. Em Portland (Oregon), Albuquerque (Novo México) e Chicago (Ilinóis), a gerência do fascista Trump despachou tropas federais para ocupar as ruas e impedir a mobilização popular, que já segue a mais de 20 semanas sem parar, redendo-lhe mais um rotundo fracasso.

Em Austin (Texas) após um protesto para exigir que a corporação varejista Target parasse de financiar a vigilância policial anti-negra em Minneapolis e nos EUA, a policia local em colaboração com o FBI conduziu à prisão 3 ativistas políticos sob as acusações de “participação em um tumulto” e “roubo de um prédio”, sendo que os mesmos nem se encontravam em tal protesto. As acusações do Estado reacionário se sustentam na perniciosa afirmação de que os acusados são “membros conhecidos da Antifa”. Este tipo de acusação enfadonha não constitui crime, uma vez que não é ilegal identificar-se como anti-fascista, e segundo não se aplica aos ativistas, uma vez que nenhum deles faz parte de nenhuma organização denominada “antifa”. Assim sendo a única conclusão possível é de que se trata de um discurso com a intenção única de criminalizar a mobilização popular, associando-a frente ao público a uma nova forma de “terror vermelho”, similar às táticas anticomunistas do Macartismo.

A gerência do ultrarreacionário Donald Trump em seu afã policial parece não perceber que caiu no ridículo. O único momento e local onde ser antifascista era crime foi na Alemanha de Hitler, sonho politico ainda não alcançado pela extrema-direita americana.

Compreendendo a justeza da luta do povo norte-americano e as injustiças por trás da repressão policial, nós estudantes de pedagogia, licenciatura, professores e demais apoiadores de todo o Brasil, reunidos no 40º Encontro Nacional de Estudantes de Pedagogia viemos através desta moção declarar nossa solidariedade aos 3 perseguidos políticos de Austin que mais uma vez demonstram que a luta classista e combativa é a única saída para o estado de sofrimento e miséria dos povos. Repudiamos as perseguições contra todos aqueles que se levantam em luta nos Estados Unidos e no mundo e afirmamos novamente que lutar não é crime.

Conclamamos todos verdadeiros democratas, estudantes e professores do povo a juntarem-se neste chamado e a defender os 3 perseguidos políticos de Austin!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s