[GO] A crise sanitária no Amazonas é culpa da ingerência desse Estado!

Reproduzimos nota do Centro Acadêmico de Enfermagem Andréa Ribeiro dos Santos – UFG

É GENOCÍDO CONTRA O POVO! É CRIME CONTRA A HUMANIDADE!

O Centro Acadêmico de Enfermagem, gestão resistir é preciso, por meio desta nota em conjunto aos estudantes que a assinam, manifestamos em primeiro lugar nossa solidariedade aos familiares e amigos das mais de 208 mil pessoas mortas em nosso país vítimas da COVID-19, vítimas do genocido dos gerentes de Estado como Bolsonaro/Generais.

Também nosso respeito e admiração a todas/os profissionais da saúde que continuam na linha de frente ao enfrentamento a COVID-19. Em especial aos profissionais no Amazonas que acompanharam diversos pacientes seus falecerem e não puderam fazer nada. Imaginamos a dor e as lágrimas nesse momento.

Tenhamos forças, solidariedade e consciência política para atravessarmos esse momento entendendo quem são os responsáveis por tudo que enfrentamos.

AMAZONAS É REFLEXO DA INGERÊNCIA DO ESTADO

Acompanhamos nos últimos dias, estarrecidas/os, incrédulas/os sobre a falta de oxigênio nos hospitais no estado do Amazonas. Em que só nesta sexta-feira (15/01) o estado registrou 113 óbitos por COVID-19, totalizando 6.043 mortes desde o início da pandemia e hoje se encontra com mais de 226 mil casos positivos da doença no estado.

Nos questionamos como pode, em plena segunda onda da COVID-19, faltar esse insumo em uma região do nosso país; como em pleno século XXI as pessoas morrerem asfixiadas dentro de um hospital. É inaceitável, é crime contra o povo!

E esse colapso do sistema de saúde do Amazonas é fruto da negligência dos governantes a nível Federal, Estadual e Municipal.

O epidemiologista da FIOCRUZ de Manaus e enfermeiro, Jesem Orellana, aponta que as declarações sem embasamento científico, como a declaração a 15 dias atrás do ministro da saúde, o general Pazuello, sobre um “tratamento precoce da COVID-19 e minimizando a importância dos testes como o RT-PCR” causou na população de Manaus um confusão e as deixou perdida.

Ressaltou que o Hospital de Campanha foi inaugurado com 2 meses de atraso; que as medidas de restrições para contenção do vírus só foram feitas no estado entre 23 de março a 31 de maio de 2020, e em dezembro o governo do AM chegou a assinar um decreto de fechamento do comércio mas revogou no dia seguinte; afirma que o governador só pediu ajuda na “iminência de sofrer desabastecimento” de oxigênio.

Citou também que o governo federal não faz campanha ostensiva das medidas recomendadas pelos especialistas, como o uso de máscaras.

Com os exemplos acima citados podemos concluir que a negligência por parte do Estado aprofundou a crise sanitária em curso no nosso país.

AS DECLARAÇÕES DE BOLSONARO E GENERAIS DEMONSTRAM O GENOCÍDIO CONTRA O POVO

Não é de hoje as declarações do presidente fascista, Jair Bolsonaro, que geram confusão no meio da população e descrédito sobre nossos cientistas a respeito do coronavírus.

Desde o início da pandemia Bolsonaro enfrenta a COVID-19, que já ceifou a vida de mais de 208 mil brasileiros, e mais de 2 milhões de pessoas no mundo, como uma gripezinha, sai às ruas sem máscaras incentivando tal prática, assim como propagandeando fake news em suas falas presidenciais.

Como parte de seu pensamento anticiência, obscurantista e antipovo, nesta sexta-feira (15/01), disse a apoiadores que o Governo Federal fez sua parte para ajudar o estado do AM, inclusive continua afirmando sobre “tratamento precoce” com medicamentos sem comprovação científica.

Nada diferente dessa linha de Bolsonaro segue o ministro da saúde, o general Pazuello, sobre o enfrentamento a COVID-19. No dia 13/01, em declaração no AM, “marcou” uma data para a vacinação: “Vai ser no dia D, na hora H”. Em meio a pilhas de cadáveres esses indivíduos governam!

O QUE FAZER EM MEIO A ESSE CENÁRIO?

Em meio a todo esse cenário de crime contra o povo, o que temos de fazer é seguirmos defendendo a ciência, combatendo as posições obscurantistas de Bolsonaro e sua corja, apontando ao povo quem são os responsáveis pela situação de crise em nosso país.

Apontar a elas os cuidados sanitários fundamentais para não contaminar-se com o coronavírus e como proteger seus entes queridos. E incentivá-las a cobrar de seus governantes medidas de prevenção e controle do coronavírus: testes em massa, garantia do isolamento social quando necessário, pagamento de um auxílio emergencial correspondente ao salário mínimo, e principalmente, VACINA PARA O POVO JÁ.

Exigimos que seja elaborado um Plano de Emergência Sanitária para o Amazonas, se falta oxigênio, que todas empresas produtoras sejam colocadas a serviço do povo neste momento, é urgente e imediata a necessidade desse insumo. Exigimos apoio a todas famílias vítimas dessa doença, vítimas da política genocida desse Estado. Assumam suas responsabilidades a respeito das mortes em nosso país!

O povo não pagará pelo descaso do Estado com o coronavírus!

VACINA PARA O POVO JÁ!

FORA BOLSONARO E FORÇAS ARMADAS REACIONÁRIAS!

Fontes:

http://www.saude.am.gov.br/visualizar-noticia.php?id=5660

http://www.ihu.unisinos.br/159-noticias/entrevistas/606115-descontrole-epidemico-de sinformacao-e-mortes-a-dramatica-situacao-de-manaus-entrevista-especial-com-jesem-orell ana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s