[PR] Centro Acadêmico de Maringá publica nota contra o corte de verbas

Divulgamos a Carta Aberta do Centro Acadêmico de Pedagogia – CAPED da Universidade Estadual de Maringá – UEM se posicionando contra os cortes de verbas nas Universidades e aos ataques desferidos contra o povo em meio à pandemia.

Assinada por outros Centros Acadêmicos da UEM, a carta repudia veementemente a situação de sucateamento do Ensino Superior e do funcionalismo público, bem como escancara o genocídio feito contra o povo, chamando estudantes e trabalhadores a se unirem contra tal situação absurda.  

A Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia saúda a iniciativa do Centro Acadêmico de Pedagogia da UEM, que cumpre o papel histórico dos e das estudantes de jamais se calar diante das injustiças! 

PEDAGOGIA É PRA LUTAR, O IMOBILISMO NÃO VAI NOS SEGURAR! 

Segue a nota na integra:

CARTA ABERTA CAPED – UEM

Maringá, 10 de setembro de 2021.

Nós, estudantes do curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Maringá, Campus Sede, frente aos severos ataques desferidos contra os interesses populares em meio à pandemia da Covid-19, viemos por meio desta manifestar nosso repúdio a tal situação.

É nítida a forma genocida com a qual o governo federal tem administrado a pandemia, com sabotagens variadas a diversos setores desde o início, além de uma perspectiva negacionista e obscurantista que já nos custou a vida de mais de 580 mil brasileiras e brasileiros.

Esse obscurantismo afeta não só a saúde, mas também a educação. Aproveitando-se da pandemia, a imposição do Ensino Remoto Emergencial (ERE) serviu como uma luva aos interesses privatistas dos diversos governos, que vêem na educação pública e gratuita não só uma despesa, mas também um setor a ser entregue às grandes corporações. Devido a essa visão deturpada da realidade, as universidades públicas, produtoras de conhecimento científico e tão fundamentais para o desenvolvimento nacional, são alvos frequentes de vários ataques, merecendo destaque os últimos brutais cortes de orçamento, que inviabilizam o retorno presencial e a própria manutenção do caráter público e gratuito das instituições.

Só na nossa Universidade, o corte atingiu o valor de R$17,7 milhões de reais (75% do orçamento original), fazendo com que a receita da instituição caísse de R$23,5 milhões anuais para R$5,8 milhões, impactando no cancelamento de Bolsas e em diversas pesquisas[1] . Diante deste cenário, como podemos acreditar que as aulas voltarão normalmente no próximo ano? Não podemos esperar de braços cruzados enquanto acabam com o ensino superior público e a pesquisa nacional num só golpe.

Contudo, não nos colocamos apenas contra os ataques à educação. Marcamos posição também em defesa dos povos originários, que lutam bravamente em defesa de suas terras e contra o Marco Temporal, que visa entregar mais terras ao agronegócio, aprofundando o atraso e dependência do nosso país.

Denunciamos a PEC 32 da Reforma Administrativa, que precariza ainda mais o serviço público, atacando os direitos dos servidores de baixa remuneração – como professores, enfermeiros e outros – enquanto deixa intocados políticos, juízes, procuradores e outros detentores de remunerações e privilégios escandalosos.

Perante tais retrocessos e ofensivas contra os estudantes e trabalhadores, o CAPED convida os demais Centros Acadêmicos a se unirem em defesa da Universidade pública, gratuita e científica e contra os vários ataques que nosso povo tem sofrido.

Não aceitaremos que retirem nossos direitos para pagar a conta da crise.

Assinam esta carta:

CAPED – Centro Acadêmico de Pedagogia

CAHRF – Centro Acadêmico Horácio Raccanello (Direito)

CAPsi – Centro Acadêmico de Psicologia

CAEC – Centro Acadêmico De Engenharia Civil. Com ressalva acerca dos assuntos políticos abordados diferentes do foco universitário.

CAenf – Centro Acadêmico de Enfermagem

Adriana Barin de Azevedo – Departamento de Psicologia                                                           

Aparecida Meire Calegari Falco – Departamento de Teoria e Prática da Educação

Notas:

1 Dado coletado do site g1: https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2021/05/31/com%5B1%5Dcorte-de-75percent-nas-verbas-de-custeio-uem-nao-tem-como-voltar-as-aulas-presenciais%5B1%5Ddiz-reitor.ghtml

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s