[PR] Vitoriosa Aula Pública de Geologia  

A Frente Estudantil Contra a EaD – PR e o Centro Acadêmico de Geologia da UFPR (CEGEP) realizaram em conjunto no último sábado, dia 02/10, uma aula pública de geologia como atividade de recepção dos calouros de 2021. A Frente Estudantil vêm impulsionando atividades práticas para exigir o retorno presencial das aulas e a reabertura do Restaurante Universitário (RU). Nesta aula o CEGEP organizou a exposição de rochas e sua posterior classificação mineralógica, conteúdo estudado em Geologia Geral nos primeiros períodos da graduação. A aula foi extremamente rica e proveitosa para os calouros, que puderam, pela primeira vez, ter contato com o material que estão estudando à distância nas aulas remotas.

Estes descreveram que, apenas com essa breve exposição feita pelos próprios veteranos, boa parte do conteúdo se tornou muito mais claro e compreensível. Eles puderam manejar as rochas com as mãos, observar com a lupa a presença ou não de minerais e classificar as rochas através de uma tabela feita em papel kraft. Foi possível aprofundar conceitos que dependem da observação mais profunda e analítica do material, o que só pode ser feito de maneira presencial. No intervalo da aula foram servidas marmitas aos estudantes que foram doadas por um apoiador. Foi possível observar a contradição do quão absurdo é o RU estar fechado sendo uma necessidade e direito estudantis. “Se a reitoria não nos dá, fazemos com nossas próprias mãos!”

Realizar estudos e desenvolver conceitos como estes de maneira virtual causa danos enormes a formação do geólogo, pois a análise através de uma simples foto ou apresentação em slide não proporciona tamanha observação de características.

Este exemplo pode se aplicar em muitos outros cursos que necessitam de atividades práticas para aprofundar, desenvolver e analisar conceitos estudados teoricamente. Inclusive em cursos da área de humanas. Assim como o geólogo, o pedagogo também precisa da prática na sala de aula, da troca de experiências e impressões entre estudantes da universidade e escola para aprofundar os conceitos que estudou. O conteúdo, quando estudado de forma individual através apenas da leitura, demora muito mais para ser assimilado e atinge rapidamente um limite de desenvolvimento. Apenas com a prática, como foi feita na aula pública geologia, na qual cada estudante pôde debater e chegar a conclusões de forma conjunta, é que o conhecimento pode ser absorvido de maneira profunda e desenvolvido a novos patamares.


É dessa forma que se desenvolve a ciência! O fato da universidade permanecer fechada priva os alunos dessa experiência prática e reafirma a total falta de interesse com a ciência no nosso país. Levando ao sucateamento de nosso ensino público, a fim de perpetuar a educação pragmática e tecnicista.

Na universidade o estudante desenvolve também sua prática política. O contato com o movimento estudantil, com grandes mobilizações, atos e ocupações, forma politicamente os alunos. O sucessivo sucateamento do ensino público cobra dos estudantes a constante mobilização em torno dos seus direitos: autonomia, democracia e gratuidade, bolsa auxílio, permanência estudantil, bolsa de iniciação científica, restaurante universitário, intercampi, laboratórios bem equipados, creches para mães estudantes, moradia estudantil… E de que forma é possível entrar em contato com todas essas contradições estando em regime de ensino virtual? O estudante passa sua graduação inteira alienado, sem entender que o próprio fato da universidade ser completamente gratuita se deu através da luta estudantil. Sem entender que boa parte dos direitos estudantis simplesmente não existem virtualmente. Não há alimentação garantida, não há transporte e bolsas.

Por estes motivos, a Frente Estudantil entende que apenas a mobilização presencial poderá barrar o perigo eminente de privatização das universidades públicas. Aulas abertas como essa mostram a urgência em voltar ao ensino presencial e impulsiona a mobilização pela reabertura do RU. É hora de romper de vez com o imobilismo e defender com todas as forças a Universidade.

Viva a luta dos estudantes de geologia!

Viva a luta presencial e combativa!

Abaixo o corte de verbas e a implementação da EaD!

Viva a Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s