Viva o vitorioso Pós-ENEPE na UFPR!

No dia 27 e 29 de Junho foi realizado o Pós-ENEPe na UFPR que contou com a participação de 40 estudantes de Pedagogia e Magistério de uma escola da região metropolitana. Esse encontro debateu sobre a importância do 41°ENEPe como um encontro estudantil de caráter científico, político e cultural, que organiza os estudantes de pedagogia e demais cursos a nível nacional, e de maneira independente e combativa a luta do movimento estudantil em defesa da educação pública e gratuita.

Foi reproduzido o debate das mesas e ressaltamos a luta contra EaD e o ensino híbrido como sendo a principal. Os estudantes também denunciaram a nefasta PEC 206/19 do governo de Bolsonaro e generais e os cortes de verbas que ameaçam ruir o pilar da gratuidade, nossa principal conquista histórica que mantém o acesso ao ensino superior às classes populares. Foi discutido também que a reabertura das universidades foi uma conquista do movimento estudantil combativo na mobilização persistente e na luta presencial em meio ao cerco do obscurantismo do governo federal, do negacionismo da burocracia universitária e do imobilismo da falsa esquerda. Além disso, foi feita uma crítica a BNCC e a BNC de formação docente e abordado a temática sobre a alfabetização e letramento.

Após o debate, os participantes aproveitaram o momento do Pós-ENEPe para fazer uma manifestação em frente a reitoria denunciando a aprovação do aumento do preço do vestibular que foi feita na surdina. Antes custava R$155,00 e hoje passa a ser R$195,00 sendo que a proposta inicial era de R$250,00. Mais uma vez a burocracia universitária da UFPR mostrou sua verdadeira face aos filhos do povo, que são os cães fiéis do MEC e que vão gerir a crise imposta.

O Pós-ENEPe serviu para afirmar o compromisso da ExNEPe em fazer frente aos ataques deste governo anti-povo e vende pátria, como também para desmascarar os burocratas encastelados nas universidades e convocar os estudantes a luta consequente em defesa do nosso direito de estudar e aprender em que devemos mirar a história do movimento estudantil combativo com a tática da greve de ocupação sendo único caminho aos filhos e filhas do povo de garantir que o tripé das universidades públicas, a autonomia democracia e gratuidade, permaneçam em pé.

Viva 41°ENEPe em Niterói/RJ! 
Abaixo os cortes de verbas!
Greve geral de ocupação, nem sucateamento nem privatização!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s