[RO] Combativo 15/09 – Dia Nacional de Combate à BNC é realizado em Rondônia

No dia 15 de setembro, cerca de 30 estudantes do curso de pedagogia da Universidade Federal de Rondônia, campus de Porto Velho realizaram uma agitação, panfletagem e colagem de cartazes explicando o que era a resolução 02/CNE/2019 e porque estavam se posicionando veementemente contrários a mesma.


Convocados pela executiva rondoniense dos estudantes de pedagogia e o centro acadêmico de pedagogia Professor Renato Nathan os estudantes entoavam palavras de ordem da entidade nacional, que os mesmos, em sua maioria calouros haviam aprendido na semana de acolhimento dos estudantes. O bloco marchou do prédio da pedagogia passando por pontos importantes da Universidade como o Restaurante Universitário (em construção a mais de uma década e sem previsão para abertura) a biblioteca, e agitando em outras licenciaturas, o prédio das pró-reitorias e se fixando próximo ao auditório Paulo Freire onde ocorria a recepção dos novos professores da UNIR e contava com as presenças de todos os diretores dos campi do interior, a pró reitora de graduação, Verônica Cordovil e a própria Reitora da UNIR, professora Marcele Pereira.


Durante as falas e palavras de ordem exigindo que a instituição tomasse um posicionamento político contrária a aplicação da BNC-FP, a reitora da UNIR foi vista saindo de fininho do auditório, ao passo que os estudantes a convocaram para vir se posicionar.


Vindo de encontro aos estudantes, Marcele Pereira pediu para utilizar o megafone e com um discurso demagógico, MENTIU ao dizer que a UNIR já estava com posição contrária tomada em relação à 02/CNE/2019 e que a briga dos estudantes não era com ela e sim com o MEC. Na última sessão ocorrida na câmara de graduação, porém, a pró-reitora de graduação à serviço da reitoria propôs que um dos pontos da minuta acerca da resolução 02/CNE/2019 de relatoria da professora Marilsa, fosse suprimido. Justamente o ponto que colocava que a Universidade emitisse um posicionamento institucional contrário à aplicação de tal resolução, através de seu Conselho Superior.


Os estudantes ao perceberem as mentiras proferidas pela reitora, começaram a entoar palavras de ordem e não permitiram que ela continuasse. Ao recuperar o megafone, denunciaram o que realmente tinha acontecido e que a Universidade não tinha posicionamento tomado coisa nenhuma! Acusando a mesma de ter mentido para se livrar da cobrança que a juventude combatente da UNIR faria e continuará a fazer.


Por fim, um balanço foi marcado junto com uma reunião para definir os próximos passos para continuar a pressão até que a Base Nacional Comum para a Formação de Professores seja derrubada definitivamente em todo o país, entendendo que a convocação da Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia para o dia Nacional de Lutas contra a BNC-FP seria atendida em outras Universidades, fazendo o movimento de resistência crescer.


PEDAGOGIA É UNIÃO, NÃO DEIXA O MEC ACABAR COM A EDUCAÇÃO!
A EXNEPE É PRA LUTAR, O IMOBILISMO NÃO VAI NOS SEGURAR!
CRESCE, CRESCE, POR TODO O BRASIL, O NOVO MOVIMENTO
COMBATIVO ESTUDANTIL!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s