[MG]23 de novembro em BH: Vitoriosa jornada de atividades são esquenta para o 16º Encontro Mineiro!

Na semana do dia 23 de novembro – Dia Nacional de Lutas da Pedagogia – a Executiva Mineira e a Comissão Organizadora do EMEPe realizou uma série de atividades de propaganda do evento, bem como debates sobre a BNC-FP e agitações fazendo a defesa da luta contra a privatização da água em Ouro Preto, sacudindo centenas de estudantes da cidade de Belo Horizonte.

Já antes, no início do mês no dia 07 de novembro foi feita uma agitação em frente ao bandejão propagandeando a vigorosa luta do povo de Ouro Preto organizado pelo Comitê Sanitário de Defesa Popular, e denunciando a criminalização da luta e a perseguição aos ativistas do CSDP, destacadamente o professor Marcos Calazans. Foram distribuídos 200 panfletos com a nota da ExNEPe em defesa desta luta, e outros 200 com a mais recente carta do CSDP de Ouro Preto após os ataques proferidos desde a câmara de vereadores contra o prof. Calazans.

Na semana do dia 23, já no dia 21 os estudantes que compõe a Comissão Organizadora fecharam todos os preparativos para as atividades da semana: compra de TNT e tinta para faixa, impressão de panfletos, cartazes… no Dia 22, por iniciativa do Grupo de Trabalho – Debats BNC da Faculdade de Educação, grupo misto de professores e estudantes com o objetivo de realizar na FaE amplo debate sobre a Resolução 02/2019 o qual a ExMEPe compõe, houve com as turmas de pedagogia e licenciaturas que tem aula na FaE um dia de debates. Na mesa dos dois debates feitos (um pela manhã, outro a noite), havia representação docente que explanou sobre as principais mudanças e impactos da BNC, representação do Diretório Acadêmico da FaE e da ExMEPe, que em sua fala ttrouxe o histórico de lutas da Executiva contra a BNC desde fins de 2019, passando pela pandemia e as centenas de ações concretas na luta pela formação unitária do pedagogo, bem como foi reforçado o convite para a participação de todos o 16º EMEPe. Após o debate, professores e estudantes se dividiram em pequenos grupos para fazer discussões e elaborar cartazes com dizeres respondendo as perguntas: “Que professores queremos ser?” e “Que professores a educação precisa?”.

No dia 23, o Dia Nacional de Lutas, a ExMEPe organizou uma ampla agitação em torno da defesa da luta contra a privatização da água de Ouro Preto. Com uma faixa com a consigna “Fora Saneouro, a água é do povo!”, foram feitas panfletagens na Faculdade de Educação, passagens em sala distribuindo a nota da ExNEPe sobre a luta no Instituto de Geociências (IGC), no Instituto de Ciências Biológicas (ICB) e Centro de Atividades Didáticas 3 (CAD 3) na UFMG. Também na PUC Minas no Instituto de Ciências Humanas (ICH). Nas passagens, foi propagandeado o processo da luta que já vai a quase 2 anos, a resistência dos moradores contra a hidrometração, a ocupação da prefeitura no dia 19/10 e denunciado os ataques, perseguições e criminalização do movimento por parte da Saneouro, prefeitura e câmara de vereadores. Conclamou-se todos a apoiar ativamente a luta que lá ocorre, luta contra a entrega das riquezas naturais de nosso país, e convocamos todos a tomar parte do Comitê de Defesa a Luta contra a Privatização da Água, conformado na FaE por intelectuais progressistas da qual a ExMEPe tem tomado parte. Dezenas de estudantes e professores deram seu contato para participar do Comitê, e se entusiasmaram em participar do EMEPe devido a participação do CSDP de Ouro Preto na mesa 1 do evento, de tema “A Luta contra a privatização da universidade pública e da água de Ouro Preto”.

No dia 25, foram colados mais cartazes do evento em prédios da UFMG, e a ExMEPe junto do Comitê de Defesa montou uma banquinha fora do Centro de Atividades Didáticas 2 (CAD 2), onde ocorria a III Jornada de Direitos Humanos, de tema “democratizar os direitos humanos”. Distribuímos a nota em apoio a luta do povo de Ouro Preto. O Comitê de Defesa fez uma intervenção denunciando as perseguições, calúnias e ameças que tem sofrido a luta e os ativistas do CSDP. A ExMEPe interviu no evento também fazendo esta denúncia, bem como dos ataques ao direito do povo de acessar o conhecimento historicamente acumulado com as “reformas” – BNC-FP, BNCC e Novo Ensino Médio.

Segue a todo vapor as atividades do movimento estudantil combativo na UFMG e a mobilização para o 16º Encontro Mineiro de Estudantes de Pedagogia, que cumprirá o papel de mobilizar, politizar e organizar estudantes para seguirem defendendo o ensino público e gratuito e os direitos do povo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s