Abaixo o golpismo bolsonarista e a privatização da educação: Elevar a combatividade na luta estudantil!

A Executiva Nacional dos Estudantes de Pedagogia manifesta seu repúdio aos intentos golpistas do dia 08 de janeiro de 2023. Rechaçamos o fracassado ato bolsonarista que visava dar um golpe de Estado para impor um governo fascista, ainda mais reacionário e antipovo que o atual. Denunciamos este ato criminoso e exigimos a punição dos responsáveis.

Os golpistas, muitos deles acampados em frente a quartéis do exército desde a derrota eleitoral do genocida Bolsonaro, foram financiados principalmente por latifundiários, empresas do chamado agronegócio, bem como outros empresários reacionários. Obtiveram o aval para seus ataques por parte do ACFA que cacarejou aos quatro ventos que tais acampamentos – regados a churrasco de picanha e bebedeira – eram manifestações democráticas e direito de liberdade de expressão. Ora, o que estes senhores entendem de democracia e liberdade de expressão se não foram os mesmos que estiveram a frente do regime militar fascista (1964-1985) que impôs o terror, perseguição, tortura e assassinato àqueles que ousavam denunciar os crimes dos gorilas e se levantavam em luta contra tal regime?

Tais acontecimentos são sintomas da aguda crise em que se arrasta o país há anos, na qual as diferentes forças das classes dominantes digladiam-se para ver quem encabeçará o governo, aumentando a exploração, a opressão, retirando todos os direitos democráticos conquistados pelo povo em luta, empurrando, dessa forma, uma ampla parcela da população para uma condição de fome e miséria cada vez maior. Ao mesmo tempo em que move céus e terra para garantir os superlucros dos grandes monopólios, dos banqueiros e latifundiários, aumenta, dia após dia, a repressão à luta popular, na cidade e no campo.

Nesse sentido, cabe destacar que os recentes ataques que a educação pública e gratuita tem sofrido – que se configuram como o maior ataque privatista da história do país – expressos na implementação da EaD, o corte de verbas que ameaça as universidades de fecharem suas portas, a destruição completa dos órgãos de fomento à pesquisa e produção científica, as contrarreformas curriculares, dentre outras medidas draconianas, serviram e seguem servindo para pavimentar o terreno para o crescimento das hordas bolsonaristas e fascistas atentando diretamente à autonomia e democracia universitárias, fazendo reinar o obscurantismo e a anticiencia, bem como para tolher a organização popular e a luta por direitos nas escolas e universidades.

Dessa forma, aos estudantes, professores, trabalhadores em educação e todos aqueles democratas honestos, cabe hoje, elevar sua organização, sob a bandeira da independência e da combatividade, como condição indispensável para se combater a reacionarização e a fascistização do Estado brasileiro, assim como para barrar a ofensiva privatista na educação. Vejamos que a escolha dos nomes para os altos cargos do MEC e suas secretarias, por parte do governo atual de Lula e sua frente ampla, indica que o caminho privatista seguirá sendo o carro chefe das políticas educacionais para o país. Diante desse cenário, urge a todos os verdadeiros defensores e defensoras da educação pública e gratuita levantarem alto a bandeira da combatividade e da independência, elevando sua organização em cada escola e universidade, tomando todas em suas mãos através das greves de ocupação, de forma a defendê-las com unhas e dentes dos privatistas e dos elementos mais podres e reacionários que tem saído do esgoto sob a faceta do bolsonarismo. Não passarão!

Brasil, 16 de janeiro de 2023.

Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s